Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

OMS : PAÍSES COM DETECÇÃO DO EBOLA,PODERÃO SER POSTOS EM QUARENTENA.

por Cimberley Cáspio, em 08.04.14
  • Cármen Guaresemin

    Do UOL, em São Paulo - reproduzido e editado p/ Cimberley Cáspio
     
     
     
     
    foto : almanaqueurupes.com.br
     
     
     

Ebola é considerado por muitos o vírus mais perigoso que a humanidade conhece atualmente. Ele voltou às manchetes recentemente graças a um surto em Guiné que já causou a morte de 84 pessoas, e sete outras na Libéria. Sem contar casos suspeitos no Mali, todos países da África Ocidental. Trata-se de uma "epidemia sem precedentes", segundo a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF).

"Estamos enfrentando uma epidemia de grande magnitude nunca vista antes em termos de distribuição de casos no país", disse o coordenador da MSF em Conacri (capital de Guiné), Mariano Lugli, por meio de um comunicado.


O vírus foi batizado com esse nome por ter sido identificado pela primeira vez em 1976 na República Democrática do Congo (antigo Zaire), perto do rio Ebola. Desde então, causou cerca de 1.500 mortes na África e é considerado uma ameaça para a saúde global e até mesmo um possível agente de guerra biológica.

Nunca houve casos da doença em humanos fora do continente africano, mas agora, com a chegada da Copa do Mundo, quais seriam as chances do vírus imigrar para o Brasil?

Para o infectologista Celso Granato, diretor clínico do Fleury Medicina e Saúde, as chances do vírus chegar ao país são muito remotas, mas não impossíveis, já que vivemos num mundo globalizado.

"O problema seria a pessoa vir da África, ou após ter visitado algum país do continente, com o vírus incubado. Isso porque é muito comum se confundir os sintomas da doença com os da malária, dengue e leptospirose, por exemplo. Também é comum que a equipe médica acabe se infectando, por não saber qual a real doença".

Com ele concorda o infectologista José Ribamar Branco da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo: "Muito improvável que chegue aqui. Esses surtos costumam ocorrer em locais muito pobres, desprovidos de modelos de higiene".

 

Granato conta que o vírus pode ficar incubado por até duas semanas. Os principais sintomas são febre forte, dores de cabeça e musculares, conjuntivite e debilidade. Já na fase mais aguda, provoca vômitos, diarreia e hemorragias. A transmissão ocorre por vias respiratórias ou por contato com fluidos corporais das pessoas infectadas.


"O quadro é uma síndrome febril hemorrágica. Na grande parte das doenças que conhecemos, o vírus se adapta ao organismo. Não é um bom negócio o parasita matar o hospedeiro, mas no caso do ebola isso não acontece. É uma doença muito agressiva e bastante transmissível".

Por ser uma doença muito local, até agora, a indústria farmacêutica não tem interesse em pesquisar possíveis vacinas ou medicamentos para o ebola. "A farmacêutica não se interessa, mas a medicina militar, sim. As Forças Armadas dos Estados Unidos afirmaram em um congresso de medicina tempos atrás que estão buscando alternativas para esta doença", conta Granato.


Ele cita o Walter Reed National Military Medical Center, em Maryland, onde estariam fazendo pesquisas estratégicas sobre o tema. "Creio que eles tenham interesse em desenvolver alguma vacina ou medicamento porque terroristas podem usar o ebola como uma arma bacteriológica muito letal e atacar uma embaixada americana, por exemplo".  

Branco acrescenta: "O ebola poderia se transformar em uma arma terrorista, sim. Por isso, os americanos têm estratégias em relação ao vírus. Costumam isolá-lo e monitorá-lo. Claro que são meio paranoicos, mas o contingente de soldados espalhados pelo mundo é muito grande".

Sobre a doença estar se espalhando em família, como no caso de um homem que vive em Gueckedou, próximo das fronteiras com a Libéria e Serra Leoa, que perdeu dez parentes, inclusive a irmã, Granato afirma que se trata de caso co-primário (caso seguinte ao primário dentro de um período inferior ao de incubação). "São pessoas que moram na mesma região e tiveram contato entre si. É uma forma comum de o vírus se alastrar".

Branco acredita que nos próximos dias a OMS (Organização Mundial da Saúde) irá criar um plano de contingência e até mesmo colocar os países que apresentaram casos da doença em quarentena.

"Países europeus e os Estados Unidos  vão juntar todas as forças para que o vírus não se espalhe. Aqui no Brasil, creio que os órgãos de saúde também tomarão medidas especialmente em relação aos voos que chegarem vindos da África. Porém, repito, o perigo do vírus chegar aqui é muito remoto".

 

 

Ministério da Saúde

 

Questionado se alguma medida seria tomada no período da Copa do Mundo, época que o país receberá muitos estrangeiros, o Ministério da Saúde informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que "o ebola é um surto localizado apenas na África e a OMS tem acompanhado a evolução do surto diariamente".

O ministério lembrou ainda que a própria OMS não pediu, até agora, para que as pessoas evitem viajar àquela região africana, devido ao surto do vírus, e que não há razão para "causar nenhum alarde".

 

 

EBOLA NO BRASIL : É URGENTE O ISOLAMENTO DE BRASILEIA (AC).

por Cimberley Cáspio, em 07.04.14

Por Cimberley Cáspio

imagem: portalangop.co.ao

 

A notícia pode ser considerada alarmante,mas os fatos que estão gerando essa notícia,são extremamente relevantes. E constatado que a FAB,a cada retorno de Rio Branco a Porto Velho,traz na carona,grupo de 40 imigrantes por viagem,é  muito possível que o vírus ebola,já esteja matando no Brasil. Afinal,as autoridades públicas,jamais divulgariam tal epidemia ativa no país,faltando dias,para a abertura da Copa do Mundo.Com certeza,se o fato já estiver acontecendo,vão jogar com a morte.

 

Além da chegada de centenas e centenas de imigrantes haitianos a Brasiléia,no Acre,fronteira com a Bolívia e o Peru,também chegam,centenas e centenas de africanos, vindos,principalmente da Guiné e do Senegal,onde a Organização Médicos sem Fronteiras,vem divulgando um alerta mundial de uma epidemia sem precedentes do vírus ebola na região,o qual,se aproxima rapidamente de uma centena de mortes,e vem se espalhando de forma acelerada pelos países fronteiriços.

 

Sendo assim,como o vírus é transmitido por contato direto com o sangue e outros fluidos naturais, ou com tecidos de indivíduos infectados, tanto humanos quanto animais, vivos ou mortos, a cidade de Brasiléia,deve ser isolada imediatamente,e o governo brasileiro,suspender o transporte dos imigrantes e distribuição de documentos legais,até que o Ministério da Saúde,dê o parecer final sobre a situação da cidade, periferias,de cada imigrante e daqueles que com eles tiveram contato no município acriano,o qual, vem sendo também castigado pela enchente histórica que ora se abate sobre a região.

 

E segundo relato de um imigrante haitiano ao repórter da Folha de São Paulo,Brasiléia está um caos,esgoto a céu aberto e ausência total de qualquer saneamento básico; com imigrantes se amontoando onde podem,fazendo suas necessidades orgânicas onde achar necessário,lavando suas roupas,se conveniente,ou não,dependendo da disponibilidade de água; onde também, alguns, ficam dias sem tomar banho; restos de comida,são jogados em qualquer lugar,junto com as embalagens descartáveis. Quer dizer,ambiente mais do que propício para a deflagração letal do ebola em todo país.


É compreensível que o prefeito de Brasiléia e o governador do estado do Acre,queiram se livrar dos imigrantes o mais rápido possível para esvaziar  a cidade,e providenciem o maior número possível de documentos legais, para que eles,os imigrantes, deixem logo o local e partam para onde achar melhor,pois no abrigo que só cabem 500,já tem mais de 1500.


E Infelizmente,como constatado,aviões hércules da Aeronáutica,estão transportando os africanos de Rio Branco (AC) a Porto Velho (RO) ,e de lá,os imigrantes,com documentos legais,estão se deslocando para várias localidades e regiões do país,sem nenhum exame,sem nenhuma avaliação de saúde feita em Brasiléia,o local de chegada migratória. O que quer dizer,quê: se algum imigrante está infectado e transmitindo a doença,não sabemos quem é,onde está,e nem quem são as pessoas que fizeram contato,e quantos o portador já infectou.


E na África,países que fazem limite com a Guiné,o país mais atingindo pelo ebola até o momento,já fecharam suas fronteiras.Todos os viajantes na região estão passando por uma triagem de exames minuciosa antes de prosseguirem viagem,ou se instalarem. E na Europa,o governo francês,também está tomando as medidas necessárias no país para  bloquear a entrada do vírus,e agindo diretamente  nas colônias africanas sob sua responsabilidade e influência. Empresas mineradoras na região africana atingida pela epidemia,inclusive a Vale do Rio Doce,bloquearam as operações,dando licença aos funcionários e  transferindo executivos internacionais.


E diante do fato declarado,se nada for divulgado pelas autoridades do setor de saúde pública federal no Brasil, o governo,criminosamente, estará abrindo as portas da  morte e nos expondo a uma situação que poderá vir a se tornar,e a superar,a maior tragédia que esse país possa ter vivido.É urgente,urgentíssimo,que o Ministério da Saúde,venha a público e divulgue ao povo brasileiro,o que está fazendo a respeito,principalmente em Brasileia. E até que tenhamos informações claras e convincentes da ação de saúde pública federal, na região migratória,o estado geral,não será outro que não seja de apreensão e temor.E enquanto nada se sabe a respeito sobre o estado de saúde do povo e dos imigrantes em Brasileia ,e dos imigrantes que já se espalharam pelo país,desesperadamente espero que não seja tarde demais para a ação de isolamento da cidade acreana.


 Fontes:  Organização Médicos sem Fronteiras 

              AFP

              Reuters

              Folha de São Paulo

              Mining.com

 

XEQUE - MATE

por Cimberley Cáspio, em 05.04.14

Por Cimberley Cáspio

imagem : olhares.uol.com.br



Jogava xadrez com um parceiro,e no espaço de uma jogada para outra,assistia um vídeo no You Tube,em que um motoqueiro em deslocamento pela cidade de São Paulo,filmava do seu próprio capacete,o trajeto que seguia.

 

E no jogo de xadrez,íamos bem,as peças se movimentavam de forma bem estratégica,criando uma boa formação de defesa,em ambos os lados. E enquanto o meu parceiro pensava para fazer o próximo movimento,via eu,com atenção no vídeo,quando o motoqueiro-vítima, parou no cemáforo e imediatamente uma dupla de assaltantes em outra moto, saltou da mesma, e um dos assaltantes,com a arma em punho na direção do rosto da vítima,disse que era um assalto e que iria levar a moto do cidadão,enquanto a vítima de forma bem pacífica,claro,com uma arma apontada contra o rosto,dizia que poderiam levar a moto,sem problema,que ele,a vítima, não estava armado e não iria reagir.


E na minha vez de fazer o movimento,joguei um cavalo como isca,para ver se o meu parceiro caia,pois atrás da peça,deixei uma rainha e um bispo,prontos, e caso a armadilha desse certo, finalizaria no meu próximo movimento,dando  um xeque-mate. Deixei ali o cavalo como isca e torci para que o meu parceiro não  conseguisse  ver a rainha e o bispo logo atrás,prontos para o ataque final. E enquanto ele pensava,continuei a ver a sequência do vídeo.


Após o assaltante tomar posse da moto da vítima,montar nela, e se preparar para pegar uma larga avenida que seria uma fuga totalmente segura,ele,o assaltante,já na moto roubada,não percebeu a chegada de um policial num automóvel comum, em sentido contrário,que viu a situação,parou,abriu a porta do carro e saiu do veículo,também com a arma em punho,enquadrando o meliante que já se preparava para fugir com a moto da vítima. E ao ser enquadrado pelo PM,o segundo assaltante empreendeu fuga,enquanto o primeiro,tentou reagir disparando,o qual, logo depois,caiu sem vida no asfalto,devido ter levado um tiro certeiro do policial.


E no jogo de xadrez,o meu parceiro caiu na armadilha e capturou o meu cavalo isca,sem observar o ataque bem montado,a espera do meu próximo movimento,que acabou acontecendo,tomando ele de mim um xeque-mate e consolidando a minha vitória.

 

O curioso é que os assantantes seguiam a vítima,já tinham seus próprios planos e movimentos bem traçados...E não perceberam e desconheceram, que a vida de cada um de nós,é um jogo de xadrez; jogo esse,em que a gente faz o plano,damos início a ele,e,sem perceber e muitas vezes desconhecer,que o outro lado também joga. No vídeo,um assaltante sobreviveu porque fugiu, e o outro morreu. 

 

O plano dos bandidos foi por água abaixo por um movimento contrário não percebido; a supresa da chegada do policial no local certo,na hora certa e no momento certo,que para um dos assaltantes,foi fatal. No mais, a vítima não perdeu a sua moto e o policial sobreviveu.

BRASIL : A "DEMOCRACIA" DOS CORSÁRIOS .

por Cimberley Cáspio, em 02.04.14

Por Cimberley Cáspio

foto: francilenogois.blogspot.com

 

 

1 bilhão e trezentos milhões de dólares,foi quanto a PETROBRÁS pagou por uma refinaria nos E.U.A e não levou. Aproximadamente 2 bilhões e 700 milhões de reais jogados no ralo,que nesse momento bancaria toda logística da engenharia das Forças Armadas,para resgatar trabalhadores - caminhoneiros - presos pela água no norte há 40 dias. Caminhoneiros que sofrem dia a dia,parados na transamazônica, com  escassez de tudo, e se deprimindo cada vez mais,com saudades da família,e sem saber quando voltarão para casa.

 

Enquanto que o Nero do Acre,quer dizer,o governador Tião Viana,gasta 14 milhões de reais de verba pública,na compra de 5 mil bicicletas importadas da China,em pleno andamento de uma crise climática sem precedente,com o argumento de que serão entregues a alunos e professores da zona rural do estado,hoje,totalmente atingido pela cheia histórica do rio acre,que continua subindo e ganhando volume...Pergunta : pra que serve bicicleta na enchente? O transporte óbvio é a canoa.Se fosse bicicleta anfíbia,tudo bem,mas não são bicicletas anfíbias,são bicicletas motorizadas,que com certeza não servirão pra nada dentro d'água...E por outro lado,mesmo que a situação climática na região volte ao normal,sabemos que dificilmente a maioria dos alunos e professores da zona rural do estado do Acre,serão agraciados com o transporte da "China". Enfim,esses 14 milhões de reais,que irão parar nos cofres de uma fábrica de bicicleta,corre também o risco de ir pro ralo, enquanto a população do estado pede socorro,contando 200 mil desabrigados até agora. E o governador,junto com senadores e deputados da região,continuam em Brasília,pedindo ao governo federal,mais verbas públicas para o gerenciamento e  operacionalidade da crise em questão.

 

Pergunta: qual é a desses políticos nortistas? Querem mais verbas para quê? Vão comprar o que mais da China agora? Porque depois dessa,é difícil acreditar que a gestão política acreana,realmente está querendo amenizar o sofrimento do seu povo,pois o que parece é que estão mais pra apostar numa retração da vazão do rio,e ficar com o dinheiro da verba emergencial do que aplicá-la diretamente na questão do problema...E que problema.

 

Sendo assim,o sofrimento humano no norte,destacando os estados de Rondônia e do Acre, continua enorme,uma catástrofe,tanto para os que foram a trabalho e agora não conseguem retornar,como os caminhoneiros,quanto a própria população atingida; enquanto que o Estado Brasileiro,está  preocupado com a Copa do Mundo e fantasmas do passado. 

CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇA,EM HAIA,DETERMINOU,E CAÇA A BALEIA NA ANTÁRTICA ACABOU.

por Cimberley Cáspio, em 01.04.14

Tradução: Igor Ramos, voluntário ISSB - reproduzido e editado p/Cimberley Cáspio

 

Junto com a determinação da Corte Internacional de Justiça,em Haia,na Holanda, a  Sea Shepherd Conservation Society está orgulhosa em anunciar que a frota baleeira japonesa deixou as águas do Tratado da Zona Antártica (ATZ), encerrando a temporada de pesca de baleias no local.

 

Em 13 de março de 2014, às 0215 AEDT, o Sistema de Identificação Automático (AIS) sinalizou a saída do navio fábrica japonês – Nisshin Maru – da zona de pesca e ultrapassando o limite de 60ºS,onde podemos confirmar que o navio seguiu rumo ao norte com seu destino marcado: Japão.

AIS confirma a saída do navio Nisshin Maru da zona de caça

 

 

Desde a última visualização do navio japonês, os navios da Sea Shepherd, The Steve Irwin e The Bob Barker, navegaram e ocuparam as únicas áreas cujo tempo era propício para a caça. Durante esse tempo, o navio Nisshin Maru foi acompanhado por apenas um navio arpoador. Isso apenas confirmou a desastrosa temporada de caça japonesa. Na terça-feira, os arpoadores Yushin Maru No. 2 e Yushin Maru No. 3 começaram a deixar suas posições, a sair de trás dos navios da Sea Shepherd, indicando que estavam ficando sem combustível, por tanto, incapazes de perseguir os nossos navios. Sem ter a posição informada para o navio-fábrica, os navios The Steve Irwin e The Bob Barker seguiram para o norte na tentativa de pressionar o navio fábrica a sair da zona de caça e da zona do tratado antártico.

 

Em uma década de campanhas, este foi o primeiro ano em que os baleeiros permaneceram com seus AIS ativados, permitindo assim, que a Sea Shepherd soubesse a localização de cada um dos barcos. Com o sistema ativado, foi possível descobrir as auto-designadas zonas de caça e os “esconderijos” utilizados para evitar serem interceptados pela Sea Shepherd. O Capitão Siddharth Chakravarty disse: “Ao entregarem suas localizações e sinalizarem o claro fim da campanha, os baleeiros sinalizaram uma certa rendição. Após um trabalho duro, não lhes sobrou opção se não retornarem para casa e abandonarem a caça. Eu estou imensamente orgulhoso dos nossos esforços e de termos atrapalhado a caça japonesa durante toda a temporada.”

Os capitães da Operação Relentless: Sid Chakravarty, Peter Hammarstedt e Adam Meyerson. Foto: Eliza Muirhead

Desde a primeira vez em que localizamos a frota baleeira em 5 de Janeiro, a frota da Sea Shepherd perseguiu arduamente os pescadores japoneses, localizando o Nisshin Maru em quatro gravações diferente e perseguindo-o. A expectativa de uma boa temporada foi quebrada após as perseguições e intervenções da Sea Shepherd continuarem. As ações resultaram na filmagem de duas baleias Minke sendo processadas no convés do navio fábrica. O Capitão Peter Hammarstedt falou: “a tardia partida da frota baleeira japonesa é uma prova de que eles tiveram uma temporada desastrosa, e a partida somente na segunda semana de março é um sinal de desespero; o clima já está extremamente impróprio para a caça.

 

Antes de iniciarmos essa campanha, fizemos uma promessa aos nossos clientes – às baleias e aos voluntários ao redor do mundo – de que iríamos conduzir os pescadores para fora da zona de caça. Nós cumprimos a promessa! Nós somos implacáveis, não temos piedade!”

 

O navio Sam Simon retornou para sua doca em Williamstown, Melbourne, para as boas vindas de um herói. O Bob Barker segue, agora, rumo a Wellington. O Steve Irwin irá retornar a Hobart para honrar o lider da Sea Shepherd e co-lider da campanha relentless, Bob Brown.

 

A Sea Shepherd continua a única organização comprometida a proteger o Santuário Antártico Oceânico das Baleias, intervindo diretamente contra as operações ilegais da frota baleeira japonesa.

Tripulação da Operação Relentless. Foto: Tim Watters

 

Pág. 3/3