Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

ARGENTINA : TEM COMO SAIR DA CRISE? NÃO. MAS TEM COMO AMENIZAR.

por Cimberley Cáspio, em 05.12.14

Por Cimberley Cáspio

 

 

imagem:parepensecomigo.blogspot.com

 

A alta inflação,desemprego,aumento da pobreza e miséria,fuga de capital,restrição do dólar,  superdesvalorização do peso,derrame institucional de dinheiro falso no país,desaparecimento dos produtos básicos das prateleiras dos supermecados,além da enorme vontade do governo  mudar o endereço da capital,mostra que o atual retrato da Argentina é extremamente ruim.

 

A que se dizia " princesa da América do Sul" nas décadas de 40,50 e 60,está hoje pior que a gata borralheira.Muito embora o salto do sapato não tenha mais,incrivelmente continua andar nos calcanhares,sempre mantendo o moral alto,sem deixar a peteca cair,quer dizer,caiu,mas disfarça e não se abaixa pra pegar.

 

O início do caminho ao fundo do poço,começou na malfadada investida militar às Falcklands em 1982,a partir daí,foi queda contínua,e continua a cair.

 

Como consequência da derrota no sul do Atlântico,os E.U.A e a Inglaterra,pôs uma cerca de restrições ao país dos hermanos,que acorrentou o desenvolvimento e a economia da Argentina,levando o país dos Kirchners ao caos econômico e social que hoje se encontra.

 

Muito embora a Argentina venha namorando economicamente a China e a Rússia,os E.U.A e a Inglaterra não vão remover as sanções e nem permitir à sua violação.Serão "uma pedra no sapato" da Cristina,até que os débitos internacionais sejam pagos.E tem mais:num acordo muito bem costurado.

 

E por causa disso,já estão de olho no relacionamento econômico do Brasil com a Argentina,e qualquer ameaça à violação da sanção imposta a Argentina por parte do Brasil,com certeza,o governo brasileiro será advertido.E por outro lado,o Brasil também sabe que culturalmente fazer negócio com a Argentina é altamente arriscado,ainda mais nos tempos atuais.Claro que a interferência americana e inglesa,só se fará de fato,caso haja intenção concreta de negócios estratégicos com os portenhos.

 

Tem como a Argentina sair da crise?Não.Mas tem como amenizar à crise,sair dela devagar,e aos poucos.De que forma? "Manda quem pode,obedece quem tem juízo", e, "contra à força,não há argumento", é só seguir o exemplo do imperador Hirohito em 2 de setembro de 1945. Se não tem mais armas pra usar,usa à sabedoria. O Japão saiu,ou não saiu da crise pela derrota na segunda guerra mundial se tornando contemporaneamente  numa das maiores economias do mundo? E tem mais: desde que começou a sua política militar expansionista pela Ásia,na década de 30, o império japonês deixou marcas extremas de sangue inocente derramado das vítimas dos soldados-samurais. Foram atrocidades,que a geração atual das vítimas do exército japonês,não digere até o dia de hoje. Ações bárbaras contra civis, entre eles, idosos e crianças,que nunca se apagarão da história.E o que foi a guerra das Malvinas? Em relação a ação militar japonesa durante a segunda guerra mundial,a guerra das Malvinas foi uma briguinha de marido e mulher.É fato que toda perca é dolorosa e ruim.Mas se formos comparar em termos de perca,não há como comparar as percas sofridas pelos americanos e ingleses na segunda guerra,em relação as percas argentinas nas Falklands durante o conflito.

 

No mais, nada como um bom acordo e a  famosa sabedoria pra pegar na corda e começar a subida do poço,pois o monitoramento americano e inglês será constante,longe,ou perto. E como já relatei em uma postagem anterior,soldados israelenses em trajes civis,já foram vistos no sul do continente argentino.Algo a ver? Vai saber...