Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

EVO MORALES VAI A MOSCOU PEDIR APOIO PRA REABERTURA MARÍTIMA PRO PACÍFICO.

por Cimberley Cáspio, em 29.11.15

Por Nuestromar - editado p/ Cimberley Cáspio

 

             Imagem: hojeemdia.com.br

 

O presidente Evo Morales e o presidente russo, Vladimir Putin, se encontraram em Teerã, no Fórum  dos Países Exportadores de Gás, para discutir questões relacionadas com a cooperação bilateral em vários domínios, incluindo o apoio técnico-militar, transferência de tecnologia nuclear, a participação russa na extração de gás na Bolívia e, como parte da agenda internacional da Bolívia, também discutiram a reivindicação marítima boliviana.

 

Quanto ao mar, o chanceler David Choquehuanca, relatado por Patria Nueva, Putin solicitou mais informações, mas disse que, se puderem fazer alguma coisa, será somente falar com o Chile sobre a questão. "O presidente Putin disse: Vamos estudar, e compreender." Disse Choquehuanca.

 

Sobre a questão do gás, Putin antecipou que não há interesse em investir na extração de riqueza natural na Bolívia. "Seu país é um dos maiores produtores de gás. As reservas são boas e a companhia Gazprom já está  trabalhando em novas jazidas no país, para no próximo ano realizar novas produções de extração", disse o presidente Russo.

 

Além disso, Putin disse que há interesse em cooperar no domínio da engenharia de energia elétrica e, em alguns setores de alta tecnologia. "Estamos dispostos a trabalhar com você no campo da cooperação técnico-militar", disse Putin a Morales.

 

Mas, certamente, a questão  mais concreta tem a ver com a construção de um centro de pesquisa nuclear com tecnologia russa na cidade de El Alto, na Bolívia. "Nós oferecemos investimento para criar o maior centro para  estudo de tecnologia nuclear no nosso país. Este terá equipamentos avançados, um reator de investigação e um ciclotron. A Rússia irá fornecer tecnologia e apoiar a Bolívia num financiamento de 300 milhões dólares ", disse Morales.

 

Morales ainda acrescentou que será o primeiro centro desse tipo na América do Sul. Por sua parte, Putin disse que está ciente do projeto, e que é claro, o Governo russo vai apoiá-lo."

 

Nesse contexto, Morales prometeu emprestar  apoio ao governo russo para estabelecer um centro de tecnologia nuclear na Bolívia, que se concretizado, ficará a cargo da empresa estatal russa  Rosatom", que vai assumir a construção do centro.

 

12 países exportadores de gás, estavam representados, entre os quais, Argélia, Bolívia, Venezuela, Egito, Irã, Qatar, Líbia, Nigéria, Emirados Árabes Unidos, Rússia, Trinidad e Tobago, Guiné Equatorial, bem como seis outros países com status de observador na organização (Omã, Países Baixos, Peru, Noruega, Cazaquistão e Iraque).

 

Fonte: Diario Correo del Sur - Bolívia