Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

FLAGRADO COM COCAÍNA SEGUNDO NAVIO PROCEDENTE DA ZONA FRANCA BOLIVIANA NO PORTO DE PARANAGUÁ.

por Cimberley Cáspio, em 29.08.15

Por Mikhail Voytenko - fleetmon.com - editado p/ Cimberley Cáspio


   



Segundo fontes anônimas, 8 sacos contendo no total 350 quilos de cocaína foram encontrados no interior do navio MSC KRYSTAL em Santos, Brasil, no dia 20 de agosto. Não se sabe se a polícia foi alertada com antecedência por um delator, ou fonte de inteligência, antes da chegada do navio.

O MSC KRYSTAL zarpou do porto de Paranaguá, Brasil. A droga foi apreendida, mas ninguém foi preso, e o navio deixou Santos, como previsto, com destino ao Rio de Janeiro e agora segundo informações oficiais, o navio deveria estar no porto de Salvador, no estado da Bahia, deveria, não está mais, ou está com o transponder desligado.

Nota do editor: o fato curioso é que o governo brasileiro arrendou parte do porto de Paranaguá para o governo boliviano ter acesso ao oceano Atlântico e fazer comércio regular de exportação e importação, mas já é a segunda vez que um navio procedente do porto de Paranaguá é flagrado no porto de Santos transportando quantidades maciça de drogas.

O que está acontecendo? Há uma zona franca boliviana no porto de Paranaguá para exportar produtos do crime, e a polícia brasileira está proibida de fiscalizar o navio no local após uma denúncia? Só depois que o navio zarpar? A zona franca boliviana no porto de Paranaguá, virou uma espécia de embaixada, e o território agora é estrangeiro? Acordo de comércio é uma coisa,mas crime está totalmente fora de questão.

O governo boliviano já nos tomou duas refinarias no seu país, e agora como presente, recebe do governo brasileiro, uma zona franca no porto de Paranaguá para exportar e importar produtos regulares, só que não é isso que estamos assistindo. O que supostamente está sendo exportado segundo fontes anônimas no porto de Santos, é o principal produto do país andino, e o governo brasileiro vai aceitar esse tipo de coisa até quando? Já deu duas refinarias e agora entrega também um entreposto marítimo dentro do Brasil para exportação de cocaína? Mais especificamente dentro do Paraná? A base de uma batalha nacional histórica liderada pelo juiz Sérgio Moro para recuperar a imagem da nação diante da opinião pública? A continuar com essa política "mui amiga" com Evo Morales, não seria a mesma coisa que esfaquear pelas costas o juiz Sérgio Moro, e jogar por terra toda a Operação Lava Jato?

No mesmo lugar enquanto o juiz Sérgio Moro expõe a sua vida tentando moralizar o país, pelas suas costas e muito perto geograficamente, se exporta cocaína praticamente livre de restrições legais? Quer dizer, na frente da casa, a aparência legal, e nos fundos da casa, a zona corre solta?

O governo brasileiro precisa rever urgentemente o acordo da zona franca boliviana no porto de Paranaguá. Se houver denúncia de crime, a polícia brasileira deve ter todo o direito de entrar na área e cumprir a sua obrigação de fiscalização, mesmo que tenha que abordar um navio e investigar tudo e todos dentro do barco.

Será que o Chile está certo em não querer ceder passagem a Bolívia para o oceano Pacífico? Agora fiquei na dúvida.

Fonte:g1, fleetmon.com

http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/not...antos.html