Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

SÃO PAULO E RIO : A QUESTÃO É ÁGUA MESMO,OU TEM A VER COM UM PASSADO DE SANGUE?

por Cimberley Cáspio, em 23.03.14

Por Cimberley Cáspio

 imagem : mafuadohpa.blogspot.com

 

 

O atrito da água que ora acontece entre o Rio e São Paulo,tem a ver realmente com à escassez, ou, está sendo uma oportunidade real de motivo pra reacender o reavivamento da lembrança de um passado sangrento entre as duas federações em que as feridas pelo visto,jamais se cicatrizarão?

 

A escassez de água na cidade de São Paulo é fato,mas, as  comemorações do 9 de julho todos os anos,é uma declaração pública paulista ao Rio de Janeiro,Minas Gerais,Rio Grande do Sul e ao governo federal,que à derrota imposta na guerra civil de 1932,ainda  hoje, não é aceita por São Paulo,que agindo dessa forma,menospreza totalmente a assinatura do armistício no município de Cruzeiro no dia 2 de outubro desse mesmo ano,provando que tal assinatura em nada representou,e hoje,muito menos representa coisa alguma.  

 

Não se comemora à derrota,mas o 9 de julho é comemorado no estado paulista como vitória,o que mostra que o espírito paulista de se separar do resto da federação,ainda está vivo e com fome de luta contínua nesse objetivo. Pode-se até dizer que uma coisa nada tem a ver com outra,mas enquanto o 9 de julho continuar a ser comemorado por São Paulo,pode-se até afirmar que os paulistas ainda mantém o pensamento separatista.

 

E na fronteira entre os estados paulista e fluminense,onde se deu a maior parte da operação,nessa guerra que durou 3 meses,a carnificina foi intensa, 2000 soldados mortos,entre paulistas,cariocas,mineiros e gaúchos,e, carnificina, é impossível de se apagar da memória, onde temos exemplos dos sulistas americanos e do governo norte-coreano,que devido a carnificina infligida nas guerras civis dos E.U.A (1861-1865),700 mil soldados mortos e da Coréia (1950-1953),1.200.000 soldados mortos,cria um obstáculo intransponível para uma solução pacífica permanente,a fim de que se enterre de vez,todo pensamento separatista, que com esses exemplos acima citados, seja difícil...muito difícil mesmo acreditar, que São Paulo,tenha enterrado de vez esse pensamento,que hoje mais parece arquivado,do que apagado ou mesmo extinto.