Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

SE O OCIDENTE SEGUIR A ESPANHA,SÓ VAI SOBRAR O VATICANO.

por Cimberley Cáspio, em 11.04.15

Por Cimberley Cáspio

 

 

 

 

 

 

Já fragilizada pelos tempos modernos,entre acusações e escândalos de pedofilia, e indenizações bilionárias,além do aumento significativo da massa evangélica pelo mundo,a igreja católica,enfrenta agora um novo ataque do governo espanhol,ao decidir retirar privilégios,recuperar patrimônio,e tornar à instituição religiosa, pagadora de impostos como todos os demais.

 

Outras demais propriedades em que venha se provar,que a igreja se apropriou indevidamente por meio de "doação" fantasiosa,ou qualquer tipo de pressão à gerações passadas,e que os ascendentes dos antigos proprietários,estejam reclamando sua restituição na justiça,terão que ser devolvidas aos legítimos herdeiros.

 

E dessa forma,a situação da igreja católica na Espanha,balança e deixa os bispos em polvorosa,e muitos se perguntam: como viverá a igreja sem privilégios? Como vai se adaptar a igreja ao pagamento de impostos? O que vai acontecer após perder imóveis no país? Uma coisa é certa: o povo espanhol está a favor do governo, e além de querer às propriedades de volta,quer à igreja igual a todos,segundo à Constituição Espanhola.

 

A crise do euro que desbarrancou sobre a Grécia e desbarranca sobre Portugal,é um dos fundamentos para que a Espanha,crie uma forma de garantia e blindagem,na defesa da economia do país. E a geração atual,também não caminha mais segundo á geração passada,na adoção das tradições católicas.

 

O mundo está diferente. E não há mais seguidores das tradições religiosas. Tudo está centrado no capital e na tecnologia que rege os novos tempos. E só o resquício da geração passada,é que ainda segue e obedece os ensinos antigos das tradições da igreja. Sendo assim,o declínio da igreja é certo. E sem a igreja,muito mais ainda o declínio da alma humana.

 

Se a moda pegar,nem as evangélicas vão escapar,será?

 

Fonte: El Pais