Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ANTENA FLUMINENSE DE NOTÍCIAS

Notícias e atualidades

TAXI: AUTONOMIA TEMPORÁRIA GRATUITA ATÉ O CARNAVAL PARA OS PIRATAS. POR QUE NÃO?

por Cimberley Cáspio, em 04.01.16

Por Cimberley Cáspio

 

Resultado de imagem para Foto: o atendimento do UBER

Imagem: noticias.uol.com.br

 

O taxi é um serviço de transporte altamente relevante nas grandes cidades, porém um detalhe também altamente relevante deixa a desejar em relação a esse serviço.

 

Em datas especiais como por exemplo, natal e ano-novo, onde a procura por taxi é alta, a frota é drasticamente reduzida, onde em uma das cooperativas que observei, com um total de 90 taxis, somente 30 estavam trabalhando no dia 24/12, e no dia 31, somente 18 taxis estavam rodando. O que acarretou uma pendência fora do normal,uma fila por espera fora do comum.

 

Com a frota radicalmente reduzida, nenhuma das cooperativas estava atendendo a contento, e dezenas,centenas de usuários ficavam a ver navios, onde a espera pelo taxi chegava à uma,duas,ou três horas, enquanto a maioria dos usuários desistiam, isto é, quando não estavam esperando nas calçadas das cidades com mulher e filhos  pequenos. Alguns com malas e horário pra chegar na rodoviária,e cadê que passa um taxi?

 

Conversei com o presidente de uma das cooperativas em relação a isso,e a resposta que ele meu deu foi: " não posso obrigar os taxistas a trabalharem. E muitos tem o direito de viajar e curtir o feriado com à família."

 

Perguntei de novo: e os que não viajaram, por que não põem motoristas auxiliares,já que querem folgar todo o período das festas? Novamente o presidente me respondeu: " tem taxistas que tem muito mais amor pelo carro, do que pela própria família, e não vão pôr ninguém para dirigir o carro dele."

 

Telefonei para dois desses taxistas que estavam com o carro parado na garagem. E um deles que está trabalhando em van, perguntei por que não disporia um motorista auxiliar, já que o taxi estava parado na garagem? E ele me respondeu: " não sei se o serviço de van vai à frente,ou vai parar, não sei quanto tempo vou ficar trabalhando por aqui, e sendo assim, prefiro deixar o taxi na garagem, pois se o serviço de van parar, volto pra praça." Ao outro perguntei a mesma coisa, já que ele está trabalhando em uma loja própria, e ele me respondeu: " o meu genro foi despedido do emprego e pretendo ajudá-lo, assim, a partir do dia 5/01 , ele vai assumir o taxi e rodar na praça." Quer dizer, dois taxis parados que poderiam estar rodando durante às festas atendendo à cidade, parados em plena época especial de maior demanda. Se consegui identificar dois,imagine quantos outros também estavam parados? E o dono do carro e da autonomia não perde nada dispondo de motoristas auxiliares, todos nós somos sabedores do quanto eles exploram essa categoria, o quanto escravizam os auxiliares com permissão mais do que indiscreta do poder público municipal e estadual.

 

Enfim,por que isso? Simples, quando o taxista compra à autonomia que varia de 100 a 220 mil reais, adicionando a vaga nos pontos da cidade, que varia de 5 a 40 mil reais, ele compra o próprio trabalho, claro, sendo assim, quem pode obrigá-lo a trabalhar? Ahh, mas a secretaria municipal de transporte pode fazer alguma coisa. Poderia, se a prefeitura não vendesse também às autonomias. Sendo assim, o usuário do taxi, fica refém da consciência do taxista nesses dias, se será atendido em tempo hábil, demorado, ou simplesmente não será atendido, até que o taxista retorne do feriado das festas de natal e ano-novo e também do carnaval e resolva voltar ao trabalho.

 

Poderia haver plantão. Uma parte trabalharia no natal e folgaria no ano-novo,ou vice-versa, sim, se o trabalho não fosse comprado, se o taxista recebesse à autonomia gratuitamente, onde então a secretaria municipal de transporte faria à fiscalização em cada cooperativa para saber quantas unidades estavam rodando nesses dias de alta demanda, e quem não estivesse trabalhando no seu plantão, teria à autonomia cassada, e a mesma passada a outro motorista que quisesse trabalhar como taxista.

 

Com grande parte do povo a ver navios em datas especiais como natal, ano-novo, e carnaval, ficando horas esperando um taxi e nada, e a maioria dos taxistas viajando e curtindo à família, fica a pergunta: por que estão reclamando do Uber, se não querem trabalhar? O Uber está tirando o emprego de quem afinal? Será que não seria interessante liberar também os "piratas" nessa época, ou, dar a eles autonomias temporárias gratuitas para trabalharem legalizados até o carnaval? Taxista pirata, é nada mais nada menos, do que um trabalhador brasileiro, que quer trabalhar, se arrisca pra trabalhar. O poder público que deveria dar apoio ao trabalho, pelo contrário, investe contra o taxista pirata porque ele não tem tamanho dinheiro pra comprar autonomia. E já que não se pode obrigar o taxista regular, trabalhar em datas especiais como natal,ano-novo, e carnaval,claro,afinal de contas compraram caro o trabalho, há que se reconhecer isso, então que supra o vazio com taxistas temporários, sejam piratas ou motoristas auxiliares parados, com autonomias temporárias até o carnaval, isto é, se a prioridade for o bem da cidade e todos aqueles que necessitam desse serviço.

 

Mas do jeito que está, vai continuar assim, porque ninguém quer fazer o certo, afinal, vivemos o ditado: "cada um por si e deus por todos."Feliz ano novo pra mim, e quem ficou no prejuízo que se lasque. E o Uber só tem a agradecer.